7.4.08

RADIO SOL

Rosalino Sipalunto é o locutor de serviço, hoje, um sábado de início de 2007. São 17 horas. A noite anuncia-se em Suzana. Neste preciso momento mais ninguém acompanha Rosalino nesse acto louco de fazer rádio (quase) de manivela: não há assistentes, não há um técnico de serviço… uma recepcionista, pelo menos, que recolha os pedidos dos discos, entregues à porta da rádio e escritos em bilhetinhos amachucados e repletos de erros ortográficos. Rosalino é um trapezista sem rede. Encontra-se no estúdio sozinho, suspenso no micro, mas amparado no éter. Do lado de lá da rádio existem centenas, talvez milhares, de ouvintes que o escutam, atentíssimos, não para gozar com ele cada vez que se enganar, mas para absorver cada sílaba, cada palavra que voar desde a sua boca até ao pequeno receptor “made in China”.

Rosalino não tem medo das brancas nem dos discos riscados (o pavor de qualquer locutor), dos engasganços ou das hesitações vocais. Neste Sábado tudo isso lhe acontece, mas Rosalino, seguro de si, prossegue a emissão e mostra ao mundo – perdão, a Suzana – que de noite também pode fazer sol.

Talvez esta seja uma metáfora forçada demais para descrever os serões da povoação. Ainda assim, arrisco-me a dizer que nesta pequena aldeia do norte da Guiné-Bissau, as escuras noites são alumiadas pelo astro-rei, através da Rádio Eva, a única rádio do país inteiramente alimentada por painéis solares.

A Rádio Eva é uma rádio comunitária como milhares de outras em África. Um edifício tosco, uma pequena antena no telhado e jovens, muitos jovens, que lhe dão sentido e a fazem funcionar meia dúzia de horas por dia. Tantas quantas os painéis solares permitirem. E é precisamente isso que a torna diferente das milhares de outras.


Ficheiro mono e 8 bits, para mais rápido carregamento

ADENDA: desde início de 2007 a Rádio Eva tem sido equipada com material diverso. Entre ele está – disseram-me – um gerador. Imagino que hoje, dia 6 de Abril de 2008, este texto já não esteja actual. Que o gerador ajude os jovens da Eva a melhorarem o seu trabalho.

2 comentários:

Anónimo disse...

Que texto delicioso! Nunca me canso de lhe agradecer...
Patrícia

atchuagnes@yahoo.com.br disse...

Este texto é delicioso mesmo...
Obrigada por mostrar tão bem a realidade da Guiné... Suzana é uma aldeia com uma riqueza cultural incrível, talvez porque tenha uma boa diversidade cultural...
e...Uma pergunta...Como conseguir contato com os responsáveis pela rádio?