12.1.07

FALTOU UMA FRASE!

João Cravinho, secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e da cooperação disse, do outro lado do mundo, na Índia, que acompanhava atentamente o evoluir da situação na Guiné-Bissau e que o plano de contingência e evacuação da comunidade lusa estava pronto a ser activado, em caso de necessidade.

Dois pontos, sobre as declarações do secretário de Estado:

1 - É bom saber que as autoridades portuguesas estão prontas a intervir. No entanto, faltou uma frase, nas declarações de Cravinho: alguma coisa que dissesse “que apesar de tudo, a situação actual era de absoluta tranquilidade e que não exigia qualquer intervenção”.

2 - Intervenções deste género criam facilmente más interpretações. E o problema relativo a más interpretações (neste caso das declarações de João Cravinho) não é tanto a comunidade portuguesa residente em Bissau, que confia nas actuais autoridades lusas aqui presentes. São, sim, os familiares, que não sabem, não entendem e não percebem que situações como a que se vive neste momento são comuns neste país e que a vida segue o seu rumo normal, com ou sem turbulência. Assim sendo, quem em Portugal ouve tais declarações fica alarmado, e com razão.

Depois há a questão da interpretação que os próprios guineenses podem fazer de tais declarações e da posição de Portugal face aos acontecimentos.

Declarações semelhantes de Freitas do Amaral, na altura MNE, indignaram há algum tempo, a comunidade portuguesa. A ver vamos se desta vez haverá reacção.

2 comentários:

Paulo disse...

yCaro Jorge
Normalmente,estes políticos,falam
e agem de menos.Este,agora,falou
de mais.Nem pensou nas consequências daquilo que disse.
É pena!

xia disse...

caro amigo Jorge
Portugal tem tido azar com esta botanica,primeiro a revolta dos cravos agora o cravinho.